Arquivos da categoria: Kombucha e a obesidade

Tratamento da obesidade com o auxílio do Kombucha

Kombucha como remédio para emagrecer

Uma pergunta muito comum é sobre os efeitos do uso do Kombucha para o combate a obesidade ou como forma de perder alguns quilos indesejáveis.

O que eu tenho observado na prática é que, embora não seja caracterizada como um remédio para emagrecer, a bebida leva muitas vezes a esse fim. Já li muitos relatos de pessoas que realmente reduziram significativamente o excesso de gordura corporal. Também já observei o efeito no meu próprio corpo, assim como ouvi relatos de amigos que utilizam o chá diariamente.

Alguns pontos, acredito, são importantes:

Bebida saudável

  • Pessoas muito magras ou que não tenham a intenção de emagrecer com o uso diário da bebida, devem prestar atenção ao efeito não desejável da redução do apetite. Se tal sintoma se tornar muito significativo, deve-se parar o consumo por algumas semanas, ou mesmo diminuir o uso durante o dia, consumindo preferencialmente depois da última refeição.
  • A eliminação das gorduras se realiza pela regulagem do organismo, lenta e gradualmente, e não como uma reação a supressão do apetite – característica mais comum nos tratamentos com medicamentos alopáticos. Assim, de fato, esse processo é lento, mas seguramente mais confiável e saudável do que o uso de anfetaminas.
  • A redução observada em muitos casos é de cerca de 10% do peso corporal total num período médio de 6 meses de uso diário. Foi o que ocorreu comigo apesar de não ter tomado o chá com o objetivo de emagrecer – passei de 80 para 72 quilos (com mais de 1 e 80 de altura), o que não era desejado, embora sem perceber qualquer alteração na massa muscular.
  • Li relatos de reduções muito maiores no peso geral, mas acredito que não se deve ansiar por resultados milagrosos – o importante é a redução dos níveis de gorduras e toxinas de forma natural e responsável. Mesmo porque uma expectativa ansiosa por resultados poderia prejudicar especificamente o processo de emagrecimento, que se dá de forma gradual.
  • Li relatos de pessoas que utilizam o chá em sua forma mais ácida, até mesmo quando ele se torna um vinagre, acreditando assim que aumentaria o poder emagracedor do Kombucha. Isso é desnecessário. Pode ser prejudicial para a flora intestinal o uso diário do vinagre principalmente porque algumas pessoas imaginam como vantajosa a administração do mesmo em quantidades grandes e como substituto do desjejum. Não sei se é uma boa idéia tomar vinagre em jejum. Não é o nível de acidez do chá que determina a sua eficácia e sim a qualidade do produto e a freqüência do seu uso.
  • É bom lembrar também que o chá quando muito doce – por ter sido retirado antes do tempo de fermentação adequado – pode ser uma fonte de açúcar não desejável. Deve-se buscar um nível ideal de acidez. [Leia sobre isso: Qual é a acidez ideal para a bebida?]
  • Se você tem “compulsão por geladeira” pode ser uma boa idéia tomar um pequeno gole de kombucha toda vez que isso ocorrer. Sem substituir as refeições importantes do dia, e sem exagerar na dose de kombucha – o que pode te levar ao banheiro mais vezes do que o desejado.

Leia também o artigo Kombucha é remédio para tudo?