Arquivos da categoria: A Colônia

Características das colônias, conservação, armazenagem, manipulação.

Colônias que não deram certo

Algumas vezes fazemos o chá e as colônias simplesmente não funcionam.

Recentemente, em agosto de 2011, realizei uma tentativa de recuperação de algumas colônias guardadas a mais de um ano e meio na geladeira. Durante os últimos 6 meses não receberam novos alimentos, isso é, não foi adicionado chá doce ao local em que estavam armazenadas.

Após o período de quase 600 dias, as colônias apresentavam um aspecto mais escuro. Algumas estavam bem grossas e ainda algumas poucas permaneciam com a cor clara. Todas sem excessão apresentavam aspecto saudável, apesar de que, aparentemente, não estavam produzindo gases o que concluí em função da tampa não estar nem mesmo estufada, como normalmente ficava.

Fiz o chá bem doce e coloquei as melhores colônias dentro no intuito de conseguir um filhote. Imaginei que pelo menos uma colônia das três que tentei produzir fosse se tornar mais forte e se reproduzir. Coloquei nos vidros tampados, como de costume, seguindo a receita clássica, mas os resultados não foram exatamente os esperados.

Os resultados, após cerca de 20 dias de fermentação foram:

  1. As colônias ficaram com forte aroma de vinagre, o que já era esparado;
  2. Uma das colônias não reproduziu, não gerou nada, aparentemente estava morta;
  3. Duas colônias produziram mofo ou algo semelhante;

Algumas imagens podem demonstrar melhor o que estou dizendo:

Os três recipientes utilizados, logo após a retirada

Repare na superfície, não há formação de colônias

Nesses dois casos podemos observar a formações de microorganismos

Mais uma imgem dos recipientes ainda tampados

Nessa foto acima podemos observar que não há formação de colônia

A colônia foi contaminada, de alguma forma, não sei bem o porque

Mesmo por fora do vidro podemos observar que o resultado não é o esperado

A dica que fica a partir dessa experiência é que devemos tomar muito cuidado ao observar as colônias após o período de fermentação.  De certa forma fica comprovado o fato de que uma colônias deixada por muito tempo na geladeira pode se enfraquecer, não reproduzir ou mesmo fica mais suscetível a contaminação.

Colônias gigantes e esculturas

Durante uma pesquisa pela rede me deparei com uma imagem no mínimo surpreendente. Vi uma colônia gigante.

Quando pensamos em produção de Kombucha, logo imaginamos um vidro com capacidade para um ou mais litros, uma pequena colônia com cerca de 300 gramas de peso. Bem isso é o que vemos normalmente nas receitas clássicas de preparo.

Mas algumas pessoas dão uma outra dimensão a essa produção:  são os produtores de colônias gigantes. Essa produção exagerada, esse cultivo de colônias de enormes proporções é no mínimo intrigante. Os objetivos são diversos, mas me chamou a atenção uma artista plástica que utiliza colônias em suas obras, e para tanto produz colônias realmente enormes!

Bem, vejamos as imagens. Essa logo abaixo é de um aquário aparentemente bem grande e com uma colônia gigante se formando.

Outra imagem que me surpreendeu bastante foi a de uma escultura muito grande feita com colônias ressecadas de Kombucha.

A escultura é da artista plástica Nöle Giulini. Abaixo algumas imagens da sua obra e um vídeo que demostra como são produzidas as colônias gigantes utilizadas por ela. É muito interessante.

Colonia gigante utilizada na escultura

A escultura

Detalhes da escultura

Outros detalhes

Vídeo disponibilizado no YouTube

O endereço do site dessa artista é www.ngiulini.com

Guardando as colônias – Ilustrado

Me perguntaram como fazer para retirar, para guardar as colônias logo após a fermentação. Nunca havia pensado em fotografar esse processo, porque acredito que ele seja muito simples, mas agora vi que documentar essa retirada pode ser útil para algumas pessoas.

Para fazer essa retirada temos que:

  • Encontrar um recipiente para armazenar a colônia com um pouco de chá;
  • Lavar bem as mãos;
  • Lavar bem o recipiente que receberá a cultura (colônia);
  • Também lavar os utensílios utilizados durante esse procedimento;
  • Preparar o local, geralmente uma mesa;
  • Destinar algum espaço na geladeira para o recipiente com as colônias.

Procedimento

Trazer a fermentação do local de descanso para a mesa onde será manipulada.

Final da fermentação do Kombucha - bebida pronta
Final da fermentação do Kombucha – bebida pronta

Retire agora o pano que tampa o vidro para procedermos a retirada da colônia. Com as mãos bem limpas, retire a colônia que está por cima primeiro. Muitas vezes essa colônia filho se encontra unida com a colônia mãe abaixo dela. Se isso ocorrer há duas possibilidades: separá-las ou mantê-las unidas. Se estiverem muito coladas, a separação pode partir uma das colônias. Nesse caso elas podem ficar unidas e serem assim utilizadas numa próxima fermentação.

Colônia mergulhando no chá
Transferência da Colônia de Kombucha

Nesse caso abaixo, separei antecipadamente um prato para colocar as colônias no intuito de avaliar o seu crescimento, a cor e o volume da nova colônia e compará-la com a mãe. Repare que também já preparei o recipiente para recebê-las, no caso uma embalagem dessas tipicamente utilizadas para guardar alimentos (tipo Tupperware).

Preparando as colônias para guardar na geladeira - foto 1/5
Preparando as colônias para guardar na geladeira – foto 1/5

Na vasilha de plástico (tipo Tupperware), coloque uma pequena quantidade de chá doce. Isso é o alimento da colônia. Se você pretende manter a colônia armazenada por algumas semanas ou mesmo meses, é recomendável que você troque o chá doce no máximo a cada 30 dias para evitar que a colônia se enfraqueça ou mesmo para de se reproduzir. Lembre-se que o recipiente não deve estar totalmente lacrado, portanto aquelas embalagens de qualidade inferior com a tampa um pouco frouxa talvez seja a melhor opção. Se você lacrar o recipiente ele provavelmente vai se expandir, em função da formação de gases, até que sua tampa saia.

Preparando as colônias para guardar na geladeira - foto 2/5
Preparando as colônias para guardar na geladeira – foto 2/5

Coloque no recipiente todas as colônias que serão guardadas. Nessas imagens existem mais de duas colônias porque eu retirei mais de uma fermentação no mesmo momento.

Preparando as colônias para guardar na geladeira - foto 3/5
Preparando as colônias para guardar na geladeira – foto 3/5

Tenha o cuidado de cobrir as colônias com o chá para que as mesmas sejam adequadamente nutridas e não se ressequem. O ideal é que todas as colônias permaneçam mergulhadas no chá doce.

Preparando as colônias para guardar na geladeira - foto 4/5
Preparando as colônias para guardar na geladeira – foto 4/5

Pode ser utilizado também um pouco do Kombucha pronto, a critério de cada um. Pessoalmente acho que quando colocamos as colônias para armazenagem em Kombucha pronto, elas tendem a se acidificar com maior facilidade e mais rapidamente.

Preparando as colônias para guardar na geladeira - foto 5/5
Preparando as colônias para guardar na geladeira – foto 5/5

Assim dispostas as colônias estão prontas para serem armazenadas. Devemos tampar o recipiente e levá-lo para a geladeira. O local ideal para armazenagem das culturas é logicamente a geladeira, porque em temperaturas mais frias a colônias tem o seu desenvolvimento retardado, isso é, a velocidade da reprodução diminui e dificulta muito a formação de novas colônias. Além disso, o chá vai se tornando mais ácido apesar das colônias não crescerem, e é por isso que devemos trocar o conteúdo líquido de tempos em tempos (é o alimento da colônia).

Colônias de Kombucha alimentadas e prontas para ir para a geladeira
Colônias de Kombucha alimentadas e prontas para ir para a geladeira

Agora está pronto, é só colocar no local destinado a elas. Em alguns dias você irá notar que a tampa do recipiente está estufada. É esperado que isso ocorre. Simplesmente abra e feche novamente a embalagem para que o gás se disperse de dias em dias. Se não fizer isso a tampa provavelmente irá abrir, sem maiores problemas. O único cuidado que eu tenho é manter a embalagem fechada, porque li em algum lugar que poderia ocorrer alguma contaminação. Acredito que não seja comum essa contaminação, mas de qualquer forma, mantenho fechada a embalagem para que não se misturem os aromas dentro da geladeira. Bem, lá vai ela.

Colônias de Kombucha guardadas na geladeira
Colônias de Kombucha guardadas na geladeira

Conseguindo uma doação

Normalmente conseguimos as primeiras colônias de amigos. Mas existem outras formas de conseguir as colônias. Se você tem como conseguir a bebida pronta, pode iniciar uma colônia à partir dela [saiba mais].

Mas a forma mais comum de se adquirir a colônia é via doação. O Kombucha Blog do Brasil possui um espaço reservado para a doação. É o Fórum KBB.

O Fórum KBB permite que usuários registrados solicitem ou disponibilizem colônias. Incentivamos a doação. O objetivo é formar um banco de colônias com cadastro de doadores nos diversos Estados do Brasil, de Portugal, dos outros países de língua portuguesa ou não.

Link do Fórum Kombucha Blog do Brasil:

http://www.kombucha.blog.br/forum/

Você deve se registrar e procurar a localidade mais próxima. Se você é brasileiro, procure o seu Estado e  leia as mensagens disponíveis. Você pode também procurar em outros países se não for brasileiro ou não estiver no Brasil. Se não encontrar nenhuma mensagem você pode escrever um Novo Tópico*. Como o fórum é lido por pessoas de diversas localidades, é possível combinar com outro associado a entrega pelo correio ou outra forma de transporte.

IMPORTANTE:

Escrevendo um Novo Tópico:

Você deve escrever no título da mensagem algo como:

“Tenho colônias para doar” ou “Preciso de uma doação”.

Depois insira um texto simples, objetivo.

Mensagens do tipo: “Estou desesperado(a)!! preciso urgente de Kombucha!!!!! Porque ninguém responde?!!??!!” seguramente não vão trazer bons resultados, afinal poucos tem paciência com pessoas desesperadas, você pode nem conseguir uma colônia. Assim como mensagens do tipo: “Preciso de uma colônia, favor me enviar pelo correio, meu endereço é…“. Bem, de fato essas nem devem ser postadas. Lembre-se: você está pedindo.

Não somos um serviço de entrega de colônias, contamos com colaboradores. Se você precisa comprar Kombucha NÃO conseguirá aqui. Sugerimos que faça uma busca na Internet, existem muitas pessoas que vendem. É fácil entender? mas vamos reforçar:

NÃO VENDEMOS KOMBUCHA, NÃO VENDEMOS COLÔNIAS DE KOMBUCHA, NÃO VENDEMOS A BEBIDA KOMBUCHA PRONTA.

Seja paciente. O Kombucha demora para ficar pronto, demora para você aprender como fazer de forma certa, demora para se obter o resultado desejado, não é milagre, não vai resolver o seu problema como mágica. Tudo demanda tempo e no caso do Kombucha o maior aprendizado é que só o tempo certo traz resultados de qualidade. Pode demorar para que alguém responda a sua mensagem.

Peça somente uma vez. Isso é importante mesmo! Sua mensagem será apagada se solicitar mais de uma vez. Se o procedimento se repetir será advertido ou banido do fórum a critério do administrador ou dos moderadores.

Outro ponto importante: ninguém é obrigado a doar, portanto se você recebeu uma doação, não é obrigado a doar. Mas seria muito bom se assim o fizesse. Vale lembrar: quem doa se disponibiliza a isso, mas geralmente gosta de ser agradecido. Agradecer faz bem assim como receber agradecimentos.

Recomendamos que você não divulgue dados desnecessários nos tópicos do fórum. Para isso é recomendável que você envie Mensagens Pessoais, através do fórum, para o associado que está disponibilizando ou solicitando a doação. Essas mensagens são como e-mails, só os destinatários recebem e não são publicadas no fórum.

Observação: o Fórum Kombucha Blog do Brasil não se responsabiliza por nenhuma transação comercial ou não entre os associados ao fórum. A responsabilidade integral pelo envio, recebimento, troca ou doação de qualquer produto através do fórum é do associado.

Sorte!

Onde guardar as colonias?

A colônia pode ser armazenada. Portanto, onde armazená-la?

Colônias

Ela é extremamente resistente, tem uma longa durabilidade e se reproduz rapidamente. Quando tiver muitas e alguma já estiver bem escura, tente dividir a colônia com as mãos e você podera perceber sua força e textura.

Se o foco é manter a longevidade da colônia, alguns pontos devem ser observados:

  • Manter a colônia em local frio ou gelado retarda imensamente a produção da colônia sem prejudicá-la muito.
  • Dar comida para a colônia – chá e açúcar – durante a armazenagem, num intervalo de 20 ou 30 dias manterá sua vitalidade.
  • Acomodar a colônia em vidro fechado com uma tampa que não lacre totalmente o ar no interior do recipiente, proporcionando que a colônia se mantenha isolada dos outros alimentos (quando mantida no refrigerador) mas permitindo que os gases produzidos na fermentação natural saiam lentamente.
  • No caso de acomodar a colônia em vidro fechado na geladeira, abrir o vidro pelo menos uma vez por semana que a colônia respire e para evitar também que a tampa fique estufada.
  • No caso de acomodar a colônia fora da geladeira, manter a mesma em vidro fechado e trocar a comida – chá e açúcar – uma vez por semana.

Devemos ter em mente que se trata de um ser vivo, e como tal deve ter respeitados alguns limites. Lembre-se disso ao realizar suas próprias experiências com a colônia.

Algumas pessoas acham um tanto “cruel” deixar a colônia morrer seca para ser utilizada na confecção de esculturas, ou batida viva no liquidificador no intuito de produzir um bom creme. Bem, é um ser vivo. Cada um tem uma imagem do conceito de “cruel”. Deixando a visão pessoal à parte, seres vivem da morte de outros seres.

Creme para a pele

A utilização das colônias excedentes para o preparo de cremes para a pele é conhecida e praticada em todo o mundo. Os benefícios do uso desses cremes são reconhecidos por muitas(os) usuárias(os) e referenciados em diversos relatos publicados nos sites sobre Kombucha.

Receita

Você vai precisar de:

  1. 50 gramas da colônia.
  2. 50 gramas de argila verde (lojas de produtos naturais)
  3. 1/2 colher de sopa de azeite de oliva
  4. Um pouco do Kombucha (bebida)

Procedimento:

  • Misture a colônia, a argila e o azeite no liquidificador
  • Adicione Kombucha (bebida) até ficar com textura cremosa
  • Aplique sobre a pele bem limpa (rosto, mãos, pescoço, etc.)
  • A pele ficará tensa no processo de secagem e o melhor agora é permanecer imóvel (não fale, ouça uma música de seu agrado, relaxe)
  • Quando estiver seco lave com água morna até retirar toda a máscara.

Mascara rosto

Algumas dicas importantes:

  • Não aplicar nenhum outro creme por no mínimo 15 minutos para que o Kombucha continue agindo.
  • Pode-se aplicar a pasta nos cabelos lavados e ainda molhados.

Nota-se uma grande diferença após uma semana de uso.

Leia também: [Lavando o seu cão com Kombucha]

Definições e cuidados com a colônia

Bom, é sempre muito interessante ter um ponto de vista diferente sobre nosso tema. A simplicidade de algumas abordagens e a falta de alguns detalhes informativos pode tornar aquilo que deveria fazer bem em algo que faz mal a saúde. Estive pesquisando o termo em inglês Zoogleal Mat para tentar entender melhor a composição da colônia de Kombucha e acabei encontrando um interessante ponto de vista sobre os cuidados quanto ao preparo e manipulação das colônias.

Colônia e copo de Kombucha

Segue abaixo uma pequena parte de um artigo que eu li sobre o kombucha num site sobre chás:

” Kombuchá é outra ‘bebida milagre’ atualmente no mercado.’Kombu’ é um tipo de alga, ‘cha’ é chá em japonês, mas a maioria das pessoas vão dizer que kombucha é um ‘chá de cogumelo’. De fato, algas, chá e cogumelos são completamente alheios a produção do kombucha. Kombuchá é um apelido ocidental para uma bebida feita de uma tisana adocicada e, em seguida, fermentada por um limo de bactérias (bacterial slime), conhecida como zoogleal mat. O zoogleal mat cria uma sólida massa conhecida como “cogumelo”. Muitas têm sido as considreações feitas sobre o kombucha. Na China é chamado de “Elixir da Saúde Imortal”. Alguns dizem que ele ajuda na desintoxicação hepática, na prevenção do câncer, bem como perda de peso, mas nenhuma evidência clínica* apoia estas reivindicações até a presente data. Muitos adéptos da bebida kombucha relatam um sentimento de euforia e bem-estar após o consumo.

(A zoogleal mat pode ser contaminada por microorganismos indesejáveis o qeu pode ser perigoso para a sua saúde. Além disso, a acidez do kombucha pode causar reações com o alumínio, o chumbo, e os vasos de cerâmica. Tenha cuidado ao produzir kombucha em casa e não utilize recipientes reativos). ”

Traduzido de uma Lista de Tisanas de um site sobre chás.

Temos que ter em mente cada vez mais que lidar com uma colônia de bactérias, viva, ativa e exposta a inúmeras condições possivelmente adversas, climáticas, de higiene, do meio envolvente, do armazenamento, dentre outras exige necessariamente um procedimento cauteloso.

Assim, não é nunca demais lembrar que é fundamental:

  • Higiene total, lavando bem as mãos, os recipientes, os utensílios em caso de dúvida auxiliando com álcool.
  • Armazenagem da colônia e da bebida em recipientes e em local que não permitam a entrada de ar contaminado.
  • Local adequado para a fermentação, assim como um pano ou papel toalha amarrado de forma segura com algo diferente daqueles elásticos encontrados no mercado brasileiro, que ao contrário dos utilizados nos EUA e Alemanha, são de qualidade geralmente duvidosa e se rompem (experiência própria e com uma marca considerada boa). Isso evita a entrada de outros microorganismos ou partículas indesejáveis que podem se deslocar até a boca do recipiente através do deslocamento do ar no local.

* documentada oficialmente, creio.

Colônia com mofo

Quando fazemos o Kombucha devemos estar atentos a todas as etapas do processo. Por se tratar de um processo de fermentação aeróbico, devemos verificar a qualidade do ar no local onde se encontra o recipiente assim como a presença de focos de mofo. Há raras possibilidades para alguns esporos alcançarem a colônia, ultrapassando o pano utilizado para tapar o recipiente, mas acontece as vezes. Se tivemos o cuidado de adicionar pelo menos 10% da bebida pronta ao chá doce antes de iniciar a fermentação, passa a ser cada vez mais remota a possibilidade da presença de fungos na colônia.

De qualquer forma, identificar uma colônia com a presença de mofo é algo bastante fácil porque o seu aspecto é muito diferente de uma colônia saudável.

Colônias estragadas com mofo:

Colônia com mofo

Mofado

Colônias com formação normal durante a fermentação:

Repare que o aspecto pode se parecer em alguns casos com uma colônia mofada, portanto não confunda. Na maioria das vezes é simplesmente um desenvolvimento irregular da colônia, o que é perfeitamente normal.

Fermentando

Fermentando II

O mofo pode ser bastante prejudicial para a saúde e recomendo em caso de dúvida dispensar totalmente o conteúdo do recipiente. É um risco desnecessário. No caso de ser a sua última colônia, e não tiver como conseguir outra, você pode tentar lavar a colônia com vinagre e retirar as partes – mesmo muito pequenas que se apresentam saudáveis – partindo com uma faca de aço inox e colocá-la num recipiente esterilizado (de preferência de vidro) com chá preto ou verde bem doce. Deixe tampado com papel toalha ou um um pedaço de tecido mais arejado (um pano perfex) num local bem arejado por uns 10 dias. Observe se essa nova formação tem mofo, e em caso positivo tente conseguir outra colônia porque provavelmente essa não está forte o suficiente para impedir a formação dele.

Para mais imagens e mais detalhes sobre a fermentação normal leia também Processo de fermentação

Como produzir uma colônia?

A colônia de kombucha é como uma estrela do mar. A comparação pode parecer um tanto estranha, mas quer dizer que uma pequena parte da colônia, mesmo minúscula,  mesmo  imperceptível pode gerar uma nova colônia grande e saudável.

A bebida Kombucha contém em sua composição todas os componentes necessários para a geração de uma nova colônia.

Assim, preparando a bebida através da receita padrão – do chá bem doce, deixar esfriar, colocar a colônia e aguardar a fermentação – retiramos as colônias (mãe e filha) ao final e guardamos. Se a bebida resultante for deixada em temperatura ambiente sem a presença de nenhuma colônia por um ou dois dias poderemos observar uma nova colônia se formando. Nota-se também, que essa segunda fermentação aeróbica e à temperatura ambiente acentua de forma muito rápida a acidez da bebida até essa se transforma em um vinagre. O vinagre de Kombucha pode ser utilizado da mesma forma que o vinagre de maça, de uva ou outro.

Isso demonstra que a colônia tem a capacidade de se reproduzir a partir de um pequeno fragmento, que a mesma é extremamente ativa e que se reproduz com facilidade.

Para se produzir uma nova colônia a partir de um pouco da bebida ou de um pequeno fragmento da colônia:

  1. Conseguir alguma bebida ou um pequeno fragmento saudável da colônia de Kombucha;
  2. Fazer um pouco do chá preto ou verde* bem doce, deixar esfriar e colocar em um vidro ou vasilha de plástico com a boca larga (acima de 7 cms de diametro);
  3. Colocar a bebida ou a colônia de Kombucha;
  4. Tampar com um pano e amarrar a boca no recipiente com um barbante ou fio;
  5. Aguardar a fermentação – pode demorar até uns 15 ou 20 dias sem problema, sendo que a bebida provavelmente terá fermentado até avinagrar;
  6. Pronto! você tem uma colônia nova, bem clara e forte. Agora é só seguir a receita tradicional.

Essa é uma forma de se produzir uma colônia já tendo o chá do kombucha pronto ou um pequeno fragmento de colônia que por acaso pode ter sido obtido de uma colônia que estragou pela ação de fungos.

Algumas pesquisas demonstram a possibilidade da geração da colônia por outras vias, mas isso estará em outro artigo nessa mesma seção.

* O chá verde apresentou melhor resultado em situações nas quais utilizei fragmentos de colônias para o ‘start’. A colônia se formou mais rápido em um teste com os dois chás e com o mesmo volume de fragmento ou de bebida pronta . Com o chá preto a colônia se apresentou também saudável embora com menor volume.

O Kombucha é muito resistente!

Achei um relato na Internet que reforça o que eu já tinha reparado no uso e manipulação das colônias: elas são muito resistentes, podem ser partidas em pedaços e não morrem com facilidade.

Eis o relato:

“Quem trata sua cultura do cogumelo de acordo com regras comprovadas, com atenção e cuidado, não terá de contar com problemas. Em informes russos até se menciona que não são necessárias medidas de precaução e, de fato, porque o cogumelo se auto-protege de impurezas. Ele dispõe de certos mecanismos de auto-defesa: os ácidos orgânicos, o baixo teor alcoólico, o ácido carbônico, os produtos antibióticos – tudo isto em conjunto freia o desenvolvimento de todos os micro-organismos não pertencentes ao organismo do cogumelo do chá. O pesquisador russo I.N. Konovalov menciona, num informe de 1959, que a intensiva multiplicação dos fermentos e bactérias do cogumelo do chá suprime a expansão de outros tipos de fermentos e bactérias. Também o professor russo G.F. Barbancik (1958) informa em seu livro sobre o cogumelo do chá a respeito de experiências laboratoriais, em que ele determinou, que as bactérias do cogumelo do chá reprimem energicamente todos os outros micróbios da redondeza (antagonismo).

Colônia O cogumelo também se deixa multiplicar e dividir facilmente, contrariamente a informes diferentes. Uma vez que ele cresce alegremente e se divide de bom grado, logo todos os amigos e conhecidos podem aproveitar de um único cogumelo. É um bom costume, passar o cogumelo do Kombuchá para outras pessoas, como sinal de amizade e de ajuda mútua. Isto já foi feito por séculos. O importante é: junto com o cogumelo passe informação completa. Afinal de contas, você está dando um organismo vivo, milhares de células vivas, cheias de força vital…

Quando você tiver experimentado coisas boas através do Kombuchá, você deveria considerar como sua obrigação moral informar sobre isto a outras pessoas. Um ditado chinês diz: Ajuda mútua enriquece até mesmo os pobres.”

retirado de http://www.kombu.de/port-11.htm