Arquivos da categoria: Ingredientes

Ingredientes necessários para o preparo da bebida.

Quantidade de chá na fermentação

A quantidade do chá pronto a ser utilizado pode influenciar no tempo de fermentação, assim como no resultado final da bebida.

Notei que deve existir um equilíbrio entre a quantidade de líquido utilizado e o volume da colônia para que a fermentação ocorra de uma forma mais regular.

Assim, uma maior quantidade de chá geralmente demora um pouco mais para fermentar. Nas receitas básicas de Kombucha é indicado o uso de 1, 2 ou 3 litros de chá. Quando o preparo envolve essas diferentes quantidades de chá, pode ocorrer diferença de alguns dias entre as fermentações. Já usei esses diferentes volumes de chá e colônias com volume igual (semelhante).

Experimentei assim:

  • Preparei chá verde, com açúcar refinado, 5 litros;
  • Coloquei 3 litros num vidro, com tampa de 10 cm de diâmetro;
  • Coloquei 2 litros num outro vidro, também com tampa de aprox. 10 cm de diâmetro;
  • Coloquei em cada vidro duas colônias (filhas) com tamanho muito parecido, que se encontravam guardadas a três dias em uma vasilha com chá verde açucarado, na geladeira (fiz isso no intuito de tentar igualar o pH delas);
  • Ambas fermentaram por 7 dias;
  • Aquela do vidro menor (2 litros) estava mais ácida.

Como eu quase sempre utilizo os dois vidros simultaneamente, já pude perceber esse mesmo fenômeno ocorrendo outras vezes, da mesma forma, mesmo quando eu utilizo o chá preto.

A quantidade do chá pronto a ser utilizado pode influenciar no tempo de fermentação, assim como no resultado final da bebida.

Pode parecer bastante lógico e até desnecessária tal observação, mas repare que o preparo do Kombucha exige-nos muito enquanto pesquisadores. Por muitas vezes estive convicto de que encontrára a receita ideal para o preparo e no entanto o resultado foi surpreendente. Por isso essa tentativa de entender os pormenores. São inúmeros detalhes, muito pouco e muito poucos divulgados, e que influenciam diretamente e definitivamente no resultado final.

Nem sempre conseguimos ter controle sobre as condições externas tal como a temperatura ambiente – a não ser que tenhamos condições de criar ambientes artificialmente constantes em temperatura, humidade do ar, qualidade do ar. Da mesma forma, nem sempre podemos nos certificar que a água utilizada seja pura e que não contenha alguma substância que desagrade à colônia. Assim com o açúcar, ou o chá pode ocorrer o mesmo.

A quantidade de chá é um dos inúmeros fatores que determinam a fermentação enfim.

Tipos de açúcar

O presente artigo, apesar de não explicar passo a passo o processo de beneficiamento da cana-de-açúcar nem citar os referidos produtos químicos utilizados ou suas quantidades, traz um conteúdo esclarecedor acerca dos tipos de açúcar.

“Quais as diferenças entre açúcar cristal, refinado, demerara e mascavo?
Por Suzana Paquete

As principais diferenças aparecem no gosto, na cor e na composição nutricional de cada tipo. A regra básica é a seguinte: quanto mais escuro é o açúcar, mais vitaminas e sais minerais ele tem, e mais perto do estado bruto ele está. A cor branca significa que o açúcar recebeu aditivos químicos no último processo da fabricação, o refinamento, que a gente explica direitinho no fim do texto. Apesar de esses aditivos deixarem o produto bonitão, eles também “roubam” a maioria dos nutrientes. Só para dar um exemplo, em 100 gramas de um açúcar bem escuro, o mascavo, existem 85 miligramas de cálcio, 29 miligramas de magnésio, 22 miligramas de fósforo e 346 miligramas de potássio. Para comparar, na mesma quantidade de açúcar refinado, aquele tipo branco mais comum, a gente encontra no máximo 2 miligramas de cada um desses nutrientes. A matéria-prima do nosso açúcar, você sabe, é a cana. Antes de chegar à nossa mesa, a planta passa por diversas etapas de fabricação. Primeiro, ela é moída para extrair o caldo doce. Depois, começa a purificação, em que o caldo é aquecido a 105 ºC e filtrado para barrar as impurezas. Em seguida, o caldo é evaporado, vira um xarope e segue para o cozimento, onde aparecem os cristais de açúcar que a gente conhece. Por último, os tipos mais brancos de açúcar ainda passam pelo refinamento, quando o produto recebe tratamentos químicos para melhorar seu gosto e seu aspecto. O resultado final é o açúcar em cristais, mas, se você moldar e comprimir os cristais com xarope de açúcar, dá para fabricar açúcar em torrões. Além da cana, há açúcar nas frutas e no milho (a frutose) e no leite (a lactose). A beterraba é outra fonte de açúcar, mas tem um processo de extração diferente. Ela é popular na Europa: como lá não tem cana, a beterraba entrou na dança.

MERGULHE NESSA

Na Internet:

www.copersucar.com.br

www.lowcucar.com.br

www.inmetro.gov.br/consumidor/produtos/acucar.asp

Doces delícias
Tipos claros recebem tratamento químico e possuem menos nutrientes

DE CONFEITEIRO
Tem cristais tão finos que mais parece talco de bebê. Excelente para fazer glacês e coberturas. O segredo é o refinamento sofisticado, que inclui uma peneiragem para obter minicristais e a adição de amido de arroz, milho ou fosfato de cálcio para evitar que os minicristais se juntem novamente

ORGÂNICO
É diferente de todos os outros tipos porque não utiliza ingredientes artificiais em nenhuma etapa do ciclo de produção, do plantio à industrialização. O açúcar orgânico é mais caro, mais grosso e mais escuro que o refinado, mas tem o mesmo poder adoçante

LIGHT
Surge da combinação do açúcar refinado com adoçantes artificiais, como o aspartame, o ciclamato e a sacarina, que quadruplicam o poder de adoçar. Um cafezinho só precisa de 2 gramas de açúcar light para ficar doce, contra 6 gramas de açúcar comum. Por isso, quem consome açúcar light ingere menos calorias

LÍQUIDO
É obtido pela dissolução do açúcar refinado em água. Usado em bebidas gasosas, balas e doces, o açúcar líquido não é vendido em supermercados. Uma das vantagens é que ele não precisa ser estocado em sacos, diminuindo os riscos de contaminação com poeira ou microorganismos

FRUTOSE
É o açúcar extraído das frutas e do milho. Sem precisar de nenhum aditivo, a frutose é cerca de 30% mais doce que o açúcar comum, mas ela engorda sem oferecer uma vitaminazinha sequer. A maior parte da frutose vendida no Brasil é importada e tem preços meio amargos

REFINADO
Também conhecido como açúcar branco, é o açúcar mais comum nos supermercados. No refinamento, aditivos químicos como o enxofre tornam o produto branco e delicioso. O lado ruim é que esse processo retira vitaminas e sais minerais, deixando apenas as “calorias vazias” (sem nutrientes)

MASCAVO
É o açúcar bruto, escuro e úmido, extraído depois do cozimento do caldo de cana. Como o açúcar mascavo não passa pela etapa de refinamento, ele conserva o cálcio, o ferro e os sais minerais. Mas seu gosto, bem parecido com o do caldo de cana, desagrada a algumas pessoas

CRISTAL
É o açúcar com cristais grandes e transparentes, difíceis de serem dissolvidos em água. Depois do cozimento, ele passa apenas por um refinamento leve, que retira “só” 90% dos sais minerais. Por ser econômico e render bastante, o açúcar cristal sempre aparece nas receitas de bolos e doces

DEMERARA
Também usado no preparo de doces, esse açúcar de nome estranho é um dos tipos mais caros. Ele passa por um refinamento leve e não recebe nenhum aditivo químico. Por isso, seus grãos são marrom-claros e têm valores nutricionais altos, parecidos com os do açúcar mascavo.

Publicado na Edição 36 – 02/2005″

Aparentemente o sabor final do Kombuchá depende muito das condições envolvidas em sua fermentação mas também do tipo de açúcar utilizado. Fato que podemos comprovar freqüentemente quando realizamos uma fermentação com os mesmos ingredientes e nas mesmas condições de preparo é que o sabor difere muito de acordo com o tipo de açúcar utilizado.

Texto extraído do site Mundo Estranho – Link para o artigo

O tipo de água utilizado

Para produzir um chá de qualidade devemos utilizar água mineral de uma boa fonte ou fornecedor. O uso da água mineral é sempre preferencial ao uso de água tratada com cloro e outras substâncias, o que poderia influenciar negativamente no crescimento da colônia ou no processo de fermentação da bebida.

Água

A água destilada pode não ser uma boa opção pelo fato de ser água desmineralizada. Apesar dessa água ser utilizada em sua maior parte na indústria, existe água destilada comercializada para consumo humano em alguns países, notadamente na Ásia. Aparentemente não são conclusivos os estudos acerca dos reais benefícios desse tipo de água para o homem, da mesma forma não encontrei nenhum relato acerca de benefícios para o uso na produção do Kombucha.

Outro aspecto importante:

Sempre que utilizamos a bebida Kombucha devemos estar cientes de que, como qualquer uma substância desintoxicante, a eficiência do processo de eliminação das toxinas do corpo deve ser auxiliado por um consumo constante de água. Assim sendo: beba água, muita água! Mas sem exageros. Entre 2 e 5 litros por dia, dependendo da sua atividade física.

Bebendo água 2

Posso fazer Kombucha utilizando mascavo?

Normalmente pensamos que a melhor forma de se produzir uma bebida natural, probiótica, seria utilizar um produto também natural, e assim é lógico pensar: porque não utilizar açúcar mascavo ao invés do açúcar refinado? E a resposta é muito simples: porque quem vai se alimentar do açúcar não é você e sim a colônia. E seguramente é o melhor alimento para a colônia, como tem sido divulgado a anos em diversas receitas pelo mundo.

Se eu já tentei utilizar o açúcar mascavo? sim. Não gostei do resultado, e a colônia menos ainda: o sabor resultante não é tão bom quanto com o açúcar refinado e a colônia não se desenvolveu de forma normal – ficou fraca.

Por isso concluí que o melhor tipo de açúcar para a fermentação do Kombucha é o açúcar refinado. Em segundo lugar eu colocaria o açúcar cristal. Em terceiro o açúcar de confeiteiro.

Ingredientes básicos para o preparo

O chá de Kombucha é feito a partir de quatro ingredientes básicos: a água, o açúcar, o chá e claro a colônia.

  1. A água – deve ser dado preferência a água mineral, de fonte natural. Escolha um bom fornecedor e compre galões de 20 litros. Deve se evitar o uso de água da torneira, por causa da presença de cloro e outras substâncias que poderiam ser prejudiciais à colônia.
  2. O açúcar – ocorre aqui um erro comum, preste atenção: por ser um produto natural e que faz bem para a saúde, grande parte das pessoas acredita que o melhor seria utilizar o açúcar mascavo. Não utilize açúcar mascavo! A colônia “gosta” do açúcar ‘ruim’ mesmo! açúcar refinado, ou, no caso de não ter o refinado, o cristal.
  3. O chá – apesar de existirem diversas receitas utilizando outros tipos de chá, ou mais de um tipo de chá ao mesmo tempo, os tipos Chá preto e Chá Verde são os que, aparentemente, fornecem os nutrientes mais indicados à colônia e são o melhor meio de cultivo portanto. Muitas referências ao uso alternado dos chás são encontradas também. (veja na seção de dicas de preparo).
  4. A colônia – uma colônia saudável é suficiente para uma cultura, independente aqui de quantos litros de chá são utilizados.

Colônia