Arquivo da tag: longevidade

Colônias que não deram certo

Algumas vezes fazemos o chá e as colônias simplesmente não funcionam.

Recentemente, em agosto de 2011, realizei uma tentativa de recuperação de algumas colônias guardadas a mais de um ano e meio na geladeira. Durante os últimos 6 meses não receberam novos alimentos, isso é, não foi adicionado chá doce ao local em que estavam armazenadas.

Após o período de quase 600 dias, as colônias apresentavam um aspecto mais escuro. Algumas estavam bem grossas e ainda algumas poucas permaneciam com a cor clara. Todas sem excessão apresentavam aspecto saudável, apesar de que, aparentemente, não estavam produzindo gases o que concluí em função da tampa não estar nem mesmo estufada, como normalmente ficava.

Fiz o chá bem doce e coloquei as melhores colônias dentro no intuito de conseguir um filhote. Imaginei que pelo menos uma colônia das três que tentei produzir fosse se tornar mais forte e se reproduzir. Coloquei nos vidros tampados, como de costume, seguindo a receita clássica, mas os resultados não foram exatamente os esperados.

Os resultados, após cerca de 20 dias de fermentação foram:

  1. As colônias ficaram com forte aroma de vinagre, o que já era esparado;
  2. Uma das colônias não reproduziu, não gerou nada, aparentemente estava morta;
  3. Duas colônias produziram mofo ou algo semelhante;

Algumas imagens podem demonstrar melhor o que estou dizendo:

Os três recipientes utilizados, logo após a retirada

Repare na superfície, não há formação de colônias

Nesses dois casos podemos observar a formações de microorganismos

Mais uma imgem dos recipientes ainda tampados

Nessa foto acima podemos observar que não há formação de colônia

A colônia foi contaminada, de alguma forma, não sei bem o porque

Mesmo por fora do vidro podemos observar que o resultado não é o esperado

A dica que fica a partir dessa experiência é que devemos tomar muito cuidado ao observar as colônias após o período de fermentação.  De certa forma fica comprovado o fato de que uma colônias deixada por muito tempo na geladeira pode se enfraquecer, não reproduzir ou mesmo fica mais suscetível a contaminação.

Guardando as colônias – Ilustrado

Me perguntaram como fazer para retirar, para guardar as colônias logo após a fermentação. Nunca havia pensado em fotografar esse processo, porque acredito que ele seja muito simples, mas agora vi que documentar essa retirada pode ser útil para algumas pessoas.

Para fazer essa retirada temos que:

  • Encontrar um recipiente para armazenar a colônia com um pouco de chá;
  • Lavar bem as mãos;
  • Lavar bem o recipiente que receberá a cultura (colônia);
  • Também lavar os utensílios utilizados durante esse procedimento;
  • Preparar o local, geralmente uma mesa;
  • Destinar algum espaço na geladeira para o recipiente com as colônias.

Procedimento

Trazer a fermentação do local de descanso para a mesa onde será manipulada.

Final da fermentação do Kombucha - bebida pronta
Final da fermentação do Kombucha – bebida pronta

Retire agora o pano que tampa o vidro para procedermos a retirada da colônia. Com as mãos bem limpas, retire a colônia que está por cima primeiro. Muitas vezes essa colônia filho se encontra unida com a colônia mãe abaixo dela. Se isso ocorrer há duas possibilidades: separá-las ou mantê-las unidas. Se estiverem muito coladas, a separação pode partir uma das colônias. Nesse caso elas podem ficar unidas e serem assim utilizadas numa próxima fermentação.

Colônia mergulhando no chá
Transferência da Colônia de Kombucha

Nesse caso abaixo, separei antecipadamente um prato para colocar as colônias no intuito de avaliar o seu crescimento, a cor e o volume da nova colônia e compará-la com a mãe. Repare que também já preparei o recipiente para recebê-las, no caso uma embalagem dessas tipicamente utilizadas para guardar alimentos (tipo Tupperware).

Preparando as colônias para guardar na geladeira - foto 1/5
Preparando as colônias para guardar na geladeira – foto 1/5

Na vasilha de plástico (tipo Tupperware), coloque uma pequena quantidade de chá doce. Isso é o alimento da colônia. Se você pretende manter a colônia armazenada por algumas semanas ou mesmo meses, é recomendável que você troque o chá doce no máximo a cada 30 dias para evitar que a colônia se enfraqueça ou mesmo para de se reproduzir. Lembre-se que o recipiente não deve estar totalmente lacrado, portanto aquelas embalagens de qualidade inferior com a tampa um pouco frouxa talvez seja a melhor opção. Se você lacrar o recipiente ele provavelmente vai se expandir, em função da formação de gases, até que sua tampa saia.

Preparando as colônias para guardar na geladeira - foto 2/5
Preparando as colônias para guardar na geladeira – foto 2/5

Coloque no recipiente todas as colônias que serão guardadas. Nessas imagens existem mais de duas colônias porque eu retirei mais de uma fermentação no mesmo momento.

Preparando as colônias para guardar na geladeira - foto 3/5
Preparando as colônias para guardar na geladeira – foto 3/5

Tenha o cuidado de cobrir as colônias com o chá para que as mesmas sejam adequadamente nutridas e não se ressequem. O ideal é que todas as colônias permaneçam mergulhadas no chá doce.

Preparando as colônias para guardar na geladeira - foto 4/5
Preparando as colônias para guardar na geladeira – foto 4/5

Pode ser utilizado também um pouco do Kombucha pronto, a critério de cada um. Pessoalmente acho que quando colocamos as colônias para armazenagem em Kombucha pronto, elas tendem a se acidificar com maior facilidade e mais rapidamente.

Preparando as colônias para guardar na geladeira - foto 5/5
Preparando as colônias para guardar na geladeira – foto 5/5

Assim dispostas as colônias estão prontas para serem armazenadas. Devemos tampar o recipiente e levá-lo para a geladeira. O local ideal para armazenagem das culturas é logicamente a geladeira, porque em temperaturas mais frias a colônias tem o seu desenvolvimento retardado, isso é, a velocidade da reprodução diminui e dificulta muito a formação de novas colônias. Além disso, o chá vai se tornando mais ácido apesar das colônias não crescerem, e é por isso que devemos trocar o conteúdo líquido de tempos em tempos (é o alimento da colônia).

Colônias de Kombucha alimentadas e prontas para ir para a geladeira
Colônias de Kombucha alimentadas e prontas para ir para a geladeira

Agora está pronto, é só colocar no local destinado a elas. Em alguns dias você irá notar que a tampa do recipiente está estufada. É esperado que isso ocorre. Simplesmente abra e feche novamente a embalagem para que o gás se disperse de dias em dias. Se não fizer isso a tampa provavelmente irá abrir, sem maiores problemas. O único cuidado que eu tenho é manter a embalagem fechada, porque li em algum lugar que poderia ocorrer alguma contaminação. Acredito que não seja comum essa contaminação, mas de qualquer forma, mantenho fechada a embalagem para que não se misturem os aromas dentro da geladeira. Bem, lá vai ela.

Colônias de Kombucha guardadas na geladeira
Colônias de Kombucha guardadas na geladeira

Onde guardar as colonias?

A colônia pode ser armazenada. Portanto, onde armazená-la?

Colônias

Ela é extremamente resistente, tem uma longa durabilidade e se reproduz rapidamente. Quando tiver muitas e alguma já estiver bem escura, tente dividir a colônia com as mãos e você podera perceber sua força e textura.

Se o foco é manter a longevidade da colônia, alguns pontos devem ser observados:

  • Manter a colônia em local frio ou gelado retarda imensamente a produção da colônia sem prejudicá-la muito.
  • Dar comida para a colônia – chá e açúcar – durante a armazenagem, num intervalo de 20 ou 30 dias manterá sua vitalidade.
  • Acomodar a colônia em vidro fechado com uma tampa que não lacre totalmente o ar no interior do recipiente, proporcionando que a colônia se mantenha isolada dos outros alimentos (quando mantida no refrigerador) mas permitindo que os gases produzidos na fermentação natural saiam lentamente.
  • No caso de acomodar a colônia em vidro fechado na geladeira, abrir o vidro pelo menos uma vez por semana que a colônia respire e para evitar também que a tampa fique estufada.
  • No caso de acomodar a colônia fora da geladeira, manter a mesma em vidro fechado e trocar a comida – chá e açúcar – uma vez por semana.

Devemos ter em mente que se trata de um ser vivo, e como tal deve ter respeitados alguns limites. Lembre-se disso ao realizar suas próprias experiências com a colônia.

Algumas pessoas acham um tanto “cruel” deixar a colônia morrer seca para ser utilizada na confecção de esculturas, ou batida viva no liquidificador no intuito de produzir um bom creme. Bem, é um ser vivo. Cada um tem uma imagem do conceito de “cruel”. Deixando a visão pessoal à parte, seres vivem da morte de outros seres.